Video

Moradores conferem o andamento das obras na Estação Nossa Senhora da Paz

Moradores participaram, neste domingo (25/01), de uma visita guiada às obras da Estação Nossa Senhora da Paz, em Ipanema. O tour começou na Estação Interativa do Jardim de Alah, onde foi exibido um vídeo explicativo sobre o projeto da nova linha, que ligará a Barra à Ipanema em 13 minutos e terá cerca de 16 km de extensão.

Durante a visita, acompanhada por técnicos e engenheiros, os moradores esclareceram dúvidas e receberam informações sobre os métodos de escavação, o trajeto da Linha 4, entre outras questões.

Confira no vídeo:

Facebook
Google
Twitter
Leia mais...

Novo encontro de túneis

Os túneis estão completamente abertos entre os bairros da Barra da Tijuca e Gávea. Faltam 138 metros para os túneis chegarem à Estação Gávea. As escavações também continuam no sentido Leblon, onde faltam 300 metros para completar o trecho escavado pelo método NATM (New Austrian Tunnelling Method), por detonações controladas.

​Há várias frentes de serviço neste trecho. No último dia 13, a equipe que escavava a partir do bairro do Leblon encontrou o grupo que vinha de São Conrado, na via 4, por onde os trens vão passar de Ipanema para a Barra.

Em novembro do ano passado, foi realizado o primeiro encontro de túneis na via 2, com a detonação do último trecho de rocha que ainda separava os bairros da Gávea e de São Conrado. No mês seguinte, em dezembro, o Consórcio Construtor Rio Barra, responsável pelas obras da Linha 4 neste trecho, as frentes de serviço conectaram os túneis de via 1, por onde os trens vão passar saindo da Barra para a Gávea. O último trecho de rocha da via 3 foi detonado na primeira semana de janeiro, entre Leblon e São Conrado. Nesta via, passarão os trens vindos da Barra em direção a Ipanema.

A Linha 4 terá aproximadamente 16 km de extensão e transportará mais de 300 mil pessoas por dia, retirando das ruas cerca de 2 mil veículos por hora/pico. Ao todo, já foram construídos mais de 9,6 mil metros de túneis entre a Barra e a Gávea.

Facebook
Google
Twitter
Leia mais...

Estação Nossa Senhora da Paz recebe acabamentos finais

Os acabamentos finais, correspondentes à cobertura de vidro, estruturas metálicas, vidros do guarda-corpo da escada fixa e do passa moeda e as portas da bilheteria, já foram instalados no acesso Joana Angélica da Estação Nossa Senhora da Paz, em Ipanema. Dois tipos de vidros foram usados nesta estação. Os da área externa, que são do teto de cobertura e laterais, têm uma película que não permite a aderência de poeira, sendo limpo com a própria água da chuva. Além disso, este vidro possui uma camada metalizada, que reflete o calor e permite a economia de energia elétrica. Já os vidros da bilheteria são laminados e temperados, ou seja, não se estilhaçam em caso de quebra. Ao todo, o acesso Joana Angélica receberá 200 metros quadrados de vidro.

A estação

Localizada em Ipanema, a Estação Nossa Senhora da Paz terá dois acessos na praça: um pela Rua Joana Angélica e outro pela Rua Maria Quitéria. Cerca de 47 mil pessoas usarão por dia esta estação. O trajeto da Barra da Tijuca até a Nossa Senhora da Paz será feito em 13 minutos.

Facebook
Google
Twitter
Leia mais...
Video

Timelapse: vídeos mostram evolução das obras da Linha 4

A Linha 4 do Metrô (Barra da Tijuca – Ipanema) utiliza a técnica de timelapse para registrar a evolução das obras em seus canteiros. Os vídeos estão disponíveis para a população em nosso canal do YouTube. Com eles, é possível acompanhar as imagens de um longo período em poucos minutos. Confira nossa lista de vídeos “Time-Lapse” e veja a evolução das obras em todos os canteiros.

Facebook
Google
Twitter
Leia mais...

Painel na Estação Nossa Senhora da Paz contará histórias de Ipanema e da Paróquia Nossa Senhora da Paz

Foto: Katarine Almeida-KaptImagem

Foto: Katarine Almeida-KaptImagem

Entrar na Estação Nossa Senhora da Paz da Linha 4 do Metrô (Barra da Tijuca-Ipanema) pelo acesso da Rua Joana Angélica, em Ipanema, será como voltar no tempo. Quando a estação estiver funcionando, no primeiro semestre de 2016, o túnel subterrâneo vai contar – em azulejos – como as histórias do bairro e da Paróquia Nossa Senhora da Paz se misturam. Tudo começa com uma notícia de jornal sobre o fim da 1ª Guerra Mundial. Há também referências da primeira escola do bairro, o Ginásio Franciscano, e da procissão em que a imagem da Santa foi levada da Paróquia de Nossa Senhora de Copacabana para Ipanema. As pinturas lembram ainda de Pixinguinha, com seu sax e a partitura de ‘Carinhoso’. O compositor morreu dentro da igreja, numa cerimônia de batismo no sábado de Carnaval, fato recordado pela Banda de Ipanema. O Cine Pax não podia ser esquecido, já que marcou a vida de tantas gerações. A Nossa Senhora da Paz, claro, encerra a história, abençoando a nova estação.

Foto: Katarine Almeida-KaptImagem

Foto: Katarine Almeida-KaptImagem

O trabalho é do arquiteto Luiz Neves, professor da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que há 24 anos restaurou a Igreja Nossa Senhora da Paz. A ideia, aliás, surgiu num bate papo com o padre Manoel. Foi ele quem deu detalhes históricos e ajudou a relacionar as curiosidades que seriam contadas.

“Padre Manoel e eu conversávamos sobre a nova estação no coração de Ipanema e os benefícios para a população. Em todo lugar do mundo, as estações de metrô têm um envolvimento muito forte com o bairro. Se no metrô subterrâneo não é possível ver a paisagem, acho que tem que ter arte, de uma forma que se possa descobrir a cidade”, diz o arquiteto, morador de Botafogo que vai ser um dos usuários da Linha 4 do Metrô.

Foto: Katarine Almeida-KaptImagem

Foto: Katarine Almeida-KaptImagem

Neste painel, o arquiteto tentou reproduzir as principais fachadas de Ipanema dos anos 20, e não deixou de fora o Morro Dois Irmãos. Ele conta que o padre Manoel foi fundamental para relacionar os fatos históricos do bairro e que, ao visitar a estação para ver o painel de perto, o desenho que os dois mais gostaram foi o que mostra a procissão:

“A igreja ainda não estava pronta e, por isso, a imagem ficou guardada na paróquia de Copacabana, quando chegou da França. Aquela pintura mostra a atitude forte religiosa, do envolvimento das pessoas que uniram os bairros acompanhando a imagem de Nossa Senhora da Paz. Ficou muito bonito, nós adoramos!”

Foto: Katarine Almeida-KaptImagem

Foto: Katarine Almeida-KaptImagem

O Consórcio Linha 4 Sul, responsável pelas obras da Linha 4 do Metrô entre Ipanema e Gávea, já instalou um painel adesivado com essas imagens, que servirão de referência para a aplicação dos azulejos, ao fim da obra. A estação também está em fase de acabamentos. O piso de granito foi assentado no nível de acesso pela Rua Joana Angélica e na área onde ficarão as catracas e bilheterias. As pastilhas verdes e revestimento em tons pastéis já estão na parede.

​Quem passa pela esquina das ruas Joana Angélica com Visconde de Pirajá já consegue perceber a estrutura metálica que vai cobrir as escadarias do acesso de passageiros. A instalação dos vidros com película antirresíduo foi concluída no fim de dezembro. Assim como nas demais estações da Linha 4 do Metrô, a arquitetura do acesso tem design discreto e padronizado, contribuindo para o conforto térmico, melhor visibilidade dos passageiros e integração com o paisagismo do entorno. O acesso também já tem corrimão de aço inox escovado e guarda corpo em vidro, que seguem a mesma orientação de modernidade, qualidade e resistência. Esta é a estrutura definitiva da estação, que vai beneficiar cerca de 47 mil pessoas por dia, a partir do primeiro semestre de 2016.

Nesta estação, os colaboradores fazem a armação da laje da plataforma, para receber o concreto, e ainda executam a montagem de eletrodutos e leitos para a passagem de cabos.

Foto: Katarine Almeida-KaptImagem

Foto: Katarine Almeida-KaptImagem

Facebook
Google
Twitter
Leia mais...

Moradores participam de reunião com o Governo do Estado e o Consórcio Linha 4 Sul

O Governo do Estado do Rio de Janeiro e o Consórcio Linha 4 Sul realizaram nesta sexta-feira (16/01/14) reunião com moradores e associações de moradores e comerciantes do Leblon e de Ipanema para prestar esclarecimentos sobre as obras da Linha 4 do Metrô (Barra da Tijuca-Ipanema). O secretário de Estado de Transportes, Carlos Osorio, conduziu a reunião, que também contou com a participação de representantes da RioTrilhos. Os moradores e comerciantes foram tranquilizados quanto à segurança da obra para as edificações do entorno dos canteiros e receberam informações sobre o andamento e prazos de conclusões de etapas das obras, além de terem suas dúvidas respondidas. Os presentes foram convidados e se cadastraram para visitarem o canteiro de obras no último domingo de janeiro (25/01).

Os moradores da Rua Barão da Torre, em Ipanema, receberam informações de que foram iniciadas nesta semana as atividades que antecedem a reurbanização e liberação total da via, no trecho entre as ruas Teixeira de Melo e Farme de Amoedo. A liberação da Rua Barão da Torre neste trecho está prevista para primeira quinzena de março. “Tivemos uma conversa franca com moradores, explicamos que o trecho mais crítico foi vencido e agora estamos entrando em solo homogêneo (areia), onde a possibilidade de incidentes é muito menor. Também tranquilizamos os moradores da Rua Barão da Torre sobre a reurbanização da via. Não faremos só reparos. Vamos refazer toda a infraestrutura daquela região, com redes de água e esgoto novas, por exemplo. Não vai ter remendo. Eles ficaram muito satisfeitos e trouxeram várias sugestões pertinentes. Foi muito produtivo. Vamos fazer reuniões periódicas com a comunidade”, afirmou Osorio.

Os moradores fizeram algumas sugestões para melhor diálogo com a população, que o secretário vai implementar, e ele pediu à comunidade que continue a utilizar os canais de comunicação com o Consórcio Linha 4 Sul. A equipe de comunicação da área da Rua Barão da Torre foi ampliada e atualmente trabalha, em turnos, de segunda a sábado, 24h, e aos domingos, das 8h às 18h, em um trailer localizado na Barão da Torre, próximo à esquina com a Rua Farme de Amoedo. Esta equipe é responsável por ouvir as demandas dos moradores e encaminhar dúvidas e pedidos para os setores responsáveis, agilizando a resposta. O Consórcio Linha 4 Sul conta ainda com Centrais de Atendimento próximas aos demais canteiros de obras, abertas de segunda à sexta-feira de 8h às 18h e sábado de 9h às 16h. Também é possível ainda solicitar uma visita da equipe técnica ou tirar dúvidas pelo telefone 0800-0210620. A ligação é gratuita e o atendimento é realizado de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.​

Facebook
Google
Twitter
Leia mais...

Esclarecimento sobre o evento de segunda-feira (12/01) na Rua Barão da Torre, em Ipanema

Por volta das 13h45 de segunda-feira (12/01), houve um vazamento de polímero biodegradável, não tóxico, utilizado nas obras de escavação do túnel da Linha 4 do Metrô no subsolo da Rua Barão da Torre, esquina com a Rua Farme de Amoedo, em Ipanema.

O evento ocorreu durante a escavação do túnel em solo de areia sob o cruzamento da Barão da Torre com a Farme de Amoedo, onde há diversas redes de utilidades (água, esgoto, telefonia) e, por isso, o terreno é menos compacto – o que facilitou a passagem do polímero. O fluxo do produto se propagou pelos vazios próximos às redes de utilidades e atingiu a superfície. O material que aflorou na via era uma mistura de polímero, água do próprio lençol freático e areia. O local foi totalmente recomposto e o cruzamento liberado ao trânsito nesta terça-feira (13/01).

Foram realizadas inspeções nas caixas das redes pluviais e constatou-se que não houve impacto nessas redes. Vale destacar que o polímero é biodegradável e de fácil remoção. Não é concreto e não se solidifica, não havendo, portanto, risco de obstrução das galerias de águas pluviais. O evento foi localizado e restrito ao cruzamento das ruas Barão da Torre e Farme de Amoedo. O Serviço de Operações de Emergência do Instituto Estadual do Ambiente (Sopea/INEA) também vistoriou o local.

O vazamento não impactou na operação do ‘Tatuzão’, que seguiu escavando normalmente, sem qualquer interferência. O monitoramento dos edifícios do entorno permaneceu dentro dos limites esperados, sem risco para as edificações.

Em uma obra deste porte, os imóveis do entorno das escavações dos túneis e estações são monitorados permanentemente. Os prédios recebem instrumentos (pinos de recalque e clinômetros) que possibilitam o acompanhamento de como as edificações se comportam antes e durante as obras. Todas as medições desta instrumentação estão dentro dos limites esperados, sem risco para as edificações.

Polímero

O polímero é utilizado no processo de escavação do túnel com o ‘Tatuzão’. Ele é injetado durante a abertura do túnel para condicionamento do solo escavado. Como o equipamento está escavando em areia, o polímero ao ser misturado com a areia, dá mais coesão ao material escavado.

Reurbanização da Barão da Torre

Foram iniciadas esta semana as atividades que antecedem a reurbanização e liberação total da Rua Barão da Torre, no trecho entre as ruas Teixeira de Melo e Farme de Amoedo. A primeira etapa destas atividades consiste em serviços de verificação/recuperação de redes (águas pluviais, esgoto, água potável, energia elétrica e TV a cabo). Em seguida, será feita a reurbanização da via, com reasfaltamento, recomposição de calçadas e jardineiras, sinalização vertical/horizontal e iluminação, bem como restaurações e reparos nos edifícios que foram impactados em função das obras. A liberação total da Rua Barão da Torre neste trecho está prevista para primeira quinzena de março.

 

Facebook
Google
Twitter
Leia mais...

Ecotelhado na estação sob a Avenida Armando Lombardi

Ambiente paisagístico vai contribuir para a redução da temperatura dentro da estação

A área externa da Estação Jardim Oceânico, na Barra da Tijuca, estará completamente integrada ao projeto de paisagismo e reurbanização da Avenida Armando Lombardi, que inclui a construção de uma passagem subterrânea e acesso para pedestres sob as pistas. Em vez das estruturas de concreto, no canteiro central, haverá um gramado florido, que cobrirá toda a extensão da estação com vegetação e mudas de árvores. No trecho elevado ficará o ecotelhado, que tem a vantagem de promover isolamento térmico no subsolo e garantir um diferencial estético e ambiental. Aberturas pequenas e médias neste gramado complementam o trabalho de paisagismo, servindo como pontos de captação de luz para o interior da estação. A ideia foi do diretor de Engenharia da RioTrilhos, o arquiteto Heitor Lopes de Sousa Jr: “A cobertura vegetal dos ecotelhados permite uma troca de calor e umidade bem mais amena que as coberturas convencionais. A sensação de confinamento natural de construções subterrâneas é bastante amenizada nesta estação”, explica.

O arco do vão central terá 68m de comprimento e 10,7m de largura, o que corresponde à parte mais estreita do corpo da estação. Ele será feito de concreto, mas os pontos de luz cavados no gramado, fechados com vidro, também vão permitir a entrada de luz. Circundado por vidraças e aberturas, que vão facilitar a circulação do ar, o arco estará a 12m de altura da área de circulação de passageiros.

Além disso, serão construídos dois retornos subterrâneos e a passagem de pedestres sob a Armando Lombardi, para melhorar a fluidez do tráfego no local. A estação terá três acessos, um de cada lado da Avenida Armando Lombardi, e o terceiro será na área de conexão com a TransOeste, para receber os passageiros do sistema BRT.

Facebook
Google
Twitter
Leia mais...

Saiu na imprensa: Projeto leva estudantes para conhecerem a prática de Engenharia

O programa ‘Como Será‘ da Rede Globo acompanhou uma visita guiada às obras da Linha 4 feita por estudantes de engenharia civil e mecânica que participaram do Programa Transferência de Conhecimento (PTC).

Confira: http://glo.bo/1xq1lgm

Facebook
Google
Twitter
Leia mais...

Esclarecimento à população

Por volta das 13h45 desta segunda-feira, 12/01, ocorreu um vazamento de polímero durante a escavação do túnel da Linha 4 do Metrô no subsolo da Rua Barão da Torre, esquina com a Rua Farme de Amoedo, em Ipanema. A área foi isolada e limpa. Não há qualquer risco para as edificações do entorno. As obras e a escavação seguem normalmente. As causas do incidente estão sendo analisadas pelo Consórcio Linha 4 Sul, responsável pelas obras da Linha 4 entre Ipanema e Gávea.​

Polímero

O polímero é um material selante utilizado no processo de escavação para dar mais coesão ao material escavado (areia). ​ O material é biodegradável e de fácil remoção. Foram realizadas inspeções nas caixas das redes pluviais e constatou-se que não houve impacto nessas redes. O evento foi localizado e restrito ao cruzamento das ruas Barão da Torre e Farme de Amoedo. O Serviço de Operações de Emergência do Instituto Estadual do Ambiente (Sopea/INEA) também vistoriou o local.

Facebook
Google
Twitter
Leia mais...